sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Gelatinas

Nunca fui grande apreciadora deste produto e há uns bons anos, quando descobri que era feita, nunca mais lhe toquei  :S
Há uns meses comecei a consumir gelatina Alsa, a única gelatina vegetal vendida em supermercados. Claro que tem de ter algumas desvantagens e a quantidade de açúcar que possui deixa muito a desejar.
Entretanto descobri estas gelatinas da marca Condi e estou desejosa de as experimentar. Provavelmente até têm a mesma quantidade de açúcar mas... sempre se varia mais nos sabores.

...


Devia escrever mais, escrever para não esquecer. Por muito que queira, há pormenores que se  perdem, coisas que passam ao lado, dias dos quais não nos lembramos tão bem. 
A Carolina já está com seis meses e meio e não escrevi muito sobre ela, sobre os nossos dias. Acorda sempre com um sorriso nos lábios. Quando lhe peço um beijinho, abre a boca e encosta-a à minha cara e eu acredito que me dá mesmo um beijo mesmo que ela ainda não perceba o que é. Falo-lhe no Sushi e ela olha para baixo, à procura dele, mexe muito as pernas e dá gritinhos quando o encontra. Ele tem medo... olha-a com algum receio mas já se aproxima um bocadinho mais. Tudo a seu tempo. 


Num instante começou a rebolar para um lado e para o outro. Gosta de dormir de barriga para baixo mas agora já consegue virar bem a cabeça. A primeira vez que o R. a encontrou assim, teve um susto de morte: tinha a cara espalmada contra o colchão e, no entanto, dormia tranquilamente. Desde que nasceu que mama bem e tenciono continuar a amamenta-la até poder. Gosta muito de festinhas nas pernas e delicia-se com o banho. Sorri muito e sorri para quase todas as pessoas, mesmo as que não conhece. Gosta muito de comer, come sopa e papa como se sempre o tivesse feito e nunca se queixa da fruta, só não liga muito a banana. Nunca gostou de chuchas apesar de ter experimentado mais de meia dúzia delas, todas diferentes. Agora deu para chuchar no polegar quando tem sono e, se está ao nosso colo, é vê-la a encostar a cabecinha ao ombro e a por o dedo na boca. Felizmente, não está sempre nisso, acho que é apenas uma forma que ela arranjou de se consolar sozinha. 

Ser mãe é tão bom. E ter uma família é ter o melhor do mundo. 

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Seis meses


Fez seis meses no dia sete. Seis meses que passaram tão depressa e que nem me deram tempo para respirar com mais calma. 
A maternidade é mesmo assim, faz-nos ficar ofegantes de tantas emoções juntas. 

[nesta fotografia está vestida com com o meu vestido de batismo, um vestido pequenino e simples que a minha mãe guardou e que eu sempre disse que um dia iria vestir à minha filha - eu sabia que ia ter uma filha...] 

sábado, 9 de Agosto de 2014

terça-feira, 5 de Agosto de 2014

To sleep or not to sleep?

Há umas semanas que andava confusa sobre a melhor forma de adormecer a Carolina. Havia dias em que ela dormia bem e outros em que acordava muitas vezes, no entanto, as sestas tornaram-se o grande problema. Se em recém-nascida dormia muito bem de dia, com o passar das semanas e a partir dos três meses, começou a dormir muito menos. Tal facto não me espantou... estava e está a crescer, a frequência e a duração das sestas diminuiu e passou a estar mais tempo acordada, no entanto, dormia mal. Fazia sestas muito curtas e para adormecer choramingava quase sempre ou então, adormecia a mamar. Eu sabia que estava a proceder mal quando permitia que ela adormecesse na mama mas preferia isso a ouvi-la chorar...
Andava nisto há algum tempo quando ouvi falar no livro da Filipa Fernandes - 10 dias para Ensinar o seu Filho a Dormir  - e no próprio dia fui comprá-lo. Li-o aos bocadinhos, entre sopas, sestas curtinhas, brincadeiras e mudas de fralda e no fim achei que não seria assim tão complicado implementar a rotina de que a autora falava no livro. Além do mais, a linguagem era tão clara e direta que por momentos pensei que o livro tinha sido escrito propositadamente para mim! 

Quinta-feira foi o primeiro dia e não foi nada fácil... mas não desisti. Paciência, persistência e consistência, três palavras-chave para que tudo desse certo. Nessa noite, li o livro mais uma vez e no dia a seguir voltei a ler algumas páginas. E reli tudo outra vez e mais uma vez. O que é certo é que desde ontem que já noto grandes progressos no sono da Carolina: neste momento está a dormir três sestas por dia com a duração de uma hora e meia ou duas horas cada uma e demora cerca de quinze a vinte minutos a adormecer. Já a consigo deitar sempre acordada e apesar de ainda refilar algumas vezes, também já se consegue acalmar sozinha, tanto de dia como de noite. 
Confesso que ainda é difícil ela não adormecer, à noite, enquanto mama, mas tenho feito o que está escrito no livro e tento que ela arrote sentada e não ao meu ombro, despertando-a um pouco mais para que depois ela perceba que vai para o berço. 


Ainda não está terminado todo este processo de ensinar a Carolina a dormir, mas sinto-me tão contente com os progressos já alcançados que tinha de escrever que sim, é possível melhorar o sono dos nossos bebés. 
A felicidade pode ser tão simples como isto. :)

[Para os interessados, aqui está a página de facebook da autora do livro] 

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

30/31 - Comida caseira favorita

Ui... são tantos os pratos de que gosto... mas a feijoada da minha mãe é única!

Baby fashion

Apesar de achar alguns bonitos, não consigo perceber como é possível vestir os bebés recém-nascidos com cueiros nos seus primeiros dias de vida. Têm tanto tecido, folhos e fitinhas que o bebé fica perdido ali dentro...

terça-feira, 29 de Julho de 2014

29/31 - Top things on my bucket list

1. Viajar - voltar a Barcelona, ir ao México, conhecer Itália e os Estados Unidos de uma ponta à outra.
2. Fazer um curso de socorrismo.
3. Descobrir outra coisa para fazer para além do ensino.
4. Fazer uma alimentação saudável e sem alimentos processados.
5. Voltar a correr (correr três vezes por semana).
6. Passear muito com a minha filha.
7. Andar de balão.
8. Continuar a tirar fotografias a toda a hora.
9. Oferecer aos meus pais uma viagem aos Açores.
10. Ter outro filho.

...

No dia 7 de Julho voltei ao trabalho. Depois de cinco meses que passaram mais depressa do que imaginava, o primeiro dia de trabalho chegou com alguma ansiedade. Deixei a minha bebé na minha mãe e saí de lá de casa com um apertozinho no coração. Sabia que estava bem entregue mas fica sempre aquela sensação estranha, não sei explicar. O dia até passou rapidamente, eram tantas as novidades lá na escola que quando dei conta já era hora de voltar a casa. 
A minha mãe estava nas nuvens, claro. Ficar com a primeira neta sempre foi o seu desejo e só tenho mesmo pena que ela não o possa continuar a fazer até mais tarde devido ao facto de estar a morar longe. Confesso que tenho receio de deixar a Carolina na creche mas agora não há outra solução... os meus sogros moram longe e teria de me levantar com as galinhas para a ir pôr aos avós paternos e estar no trabalho às nove da manha. Seria uma violência para ela e para mim também. Assim ficamos todos pertinho uns dos outros e quando as semanas de adaptação terminarem, com certeza será tudo mais fácil. 
Agora é tempo de aproveitar as férias, fazer alguma praia ao fim do dia e saborear um mês inteiro com ela na nossa companhia. Está linda, sorri muito, adora atenção e brincadeiras e continua uma bebé sossegada.